Dízimo

Dizimo na Igreja Católica

Dizimo na Igreja Católica

A palavra DÍZIMO, significa a entrega de 10% dos 100% que Deus nos dá. O Dízimo é a devolução, contribuição, ato de amor e gesto de partilha. Lembrando que nós não pagamos o Dízimo; nós devolvemos o Dízimo, já que tudo o que somos e temos pertence a Deus.
Pois, assim nos diz o Senhor: Pagai integralmente os Dízimos ao tesouro do templo para que haja alimento em minha casa. Fazei a experiência, diz o Senhor dos exércitos, e vereis se não vos abro os reservatórios dos Céus e se não derramo a minha benção sobre vós muito além do necessário … (cf.: Ml 3,10-12).

Quem deve receber o dízimo?
O ideal é que ele seja entregue ao pároco, como bem afirma a Palavra de Deus: Os descendentes de Levi que recebem o sacerdócio têm ordem de cobrar legalmente dízimos do povo, isto é, dos seus irmãos, que também descendem de Abraão (cf.: Hb 7,5). Ou seja, aqueles que foram ungidos por Deus e que são os responsáveis pela obra do Senhor devem recolher os dízimos. Mas, em muitos lugares, é comum, os párocos delegarem esta tarefa aos Agentes do Dízimo, que por sua vez, são supervisionados por ele.

É obrigatório entregar o dizimo?
Muitos vêem o dízimo como uma obrigação, porém o dizimo não deve ser visto como uma obrigação e muito menos deve ser dado por interesse.
Afirmações como: Vou dar o dízimo para não ficar desempregado, vou dar o dízimo para eu não ser castigado por Deus. Vou dar o dizimo para ficar rico. Estas são afirmações errôneas. Porque o dízimo deve ser dado com gratidão sem se pensar em qualquer tipo de retorno da parte de Deus.
Contribuir para a obra do Senhor será recompensado por tesouros celestiais. Ou você prefere ter o seu tesouro na terra, onde perecerá, ou no céu, onde o gozarás eternamente? A resposta que você der a esta pergunta terá muito a ver como verás e usarás os teus bens. Vale lembrar a exortação do Apóstolo Paulo sobre este assunto, quando nos diz: Aspirai às coisas do alto, não às terrenas (cf.: Cl 3,2).

ARTIGO

“As Dimensões do Dízimo”
(Fonte: http://luiztarciso.net/dizimo/dizimens.html)
Pelo Batismo nos tornamos filhos adotivos de Deus e membros de sua Igreja. A qual é nossa casa.
E na Paróquia São Rafael você se sente em casa. E só se sente em casa quem participa da vida da casa, quem compartilha das alegrias e sofrimentos de todos os irmãos que a habitam; quem procura conhecer todos os que nela moram.

Daí, que os membros desta casa, assumem desde então, o compromisso de fidelidade a Deus e o dever de prestar-lhe um culto de louvor, estabelecendo-se a dimensão religiosa do nosso ser cristão.

Esse mesmo compromisso de fidelidade a Deus exige de nós o cuidado para com o nosso próximo, pois não é possível amar a Deus a quem não se vê se não amamos ao nosso próximo a quem vemos. É a dimensão fraterna ou social do ser cristão.

Ainda pelo mesmo compromisso de fidelidade a Deus somos convocados a proclamar o Evangelho a todos os povos, na dimensão missionária de todo batizado.

Como podemos perceber, toda a ação pastoral da Igreja está envolvida com estas dimensões. Seja a catequese, a liturgia, os cuidados com os doentes, os jovens, os idosos, etc. (A catequese da primeira eucaristia, por exemplo: procura preparar os catequizandos para a recepção da primeira comunhão e de todas as outras que hão de vir). Mas a comunhão só é possível quando acontece com Deus e com o próximo e quando dá sentido à missão de evangelizar que compete a todo batizado.

Assim, também o dízimo que é a retribuição a Deus de uma parte de tudo o que Ele nos dá, contempla essas 3 dimensões quando aplica os recursos partilhados pela comunidade.

Na dimensão religiosa o dízimo deve suprir com recursos, todas as necessidades direta ou indiretamente ligadas ao culto e aos seus ministros. Gastos com o templo – construção e manutenção, salário do padre e dos funcionários, encargos, energia elétrica, água, telefone, impressos, paramentos litúrgicos, velas, vinho, hóstias, equipamentos de som e audiovisuais, etc.

Na dimensão social o dízimo deve suprir as necessidades dos irmãos mais necessitados da comunidade, atendidos pelas pastorais sociais. As nossas pastorais sociais cuidam da promoção do ser humano e neste seu trabalho de misericórdia e compaixão resgatam a dignidade dos irmãos assistidos.

Na dimensão missionária, o dízimo deve sustentar financeiramente as ações de evangelização da comunidade exercidas fora do território da paróquia. Ajuda à Cúria, ao Seminário e às missões de um modo geral.
Luiz Tarciso Souza