Ler o Evangelho – Lc 21,12-19

Todos vos odiarão por causa do meu nome.
Mas vós não perdereis um só fio de cabelo da vossa cabeça.

Ganhar a vida eterna significa ser capaz de lutar no dia a dia pelos valores que a caracterizam. Mas os valores que caracterizam a vida eterna são completamente diferentes dos valores que caracterizam a nossa sociedade de hoje, sendo que a conseqüência dessa diferença é o conflito, que é seguido da perseguição, do ódio e, muitas vezes, da morte. Mas quem de fato acredita na vida eterna e a deseja ardentemente para si assume o projeto de Deus e os valores do Reino dos céus e luta constantemente por eles, não temendo a perseguição e desafiando até mesmo a morte, porque sabe que nada o separará da vida e vida em abundância.

Reflexão – Lc 21, 5-11

Ler o Evangelho- Lc 21, 5-11
Não podemos por na realidade material o sentido final da nossa vida e a causa da nossa felicidade, pois o mundo material é transitório e só encontra o seu verdadeiro sentido enquanto é relacionado com o definitivo, ou seja, o mundo espiritual, e contribui para que a pessoa encontre nos valores que não são transitórios a causa da sua vida e da sua felicidade. Assim, devemos ser capazes de submeter os valores transitórios aos valores definitivos, pois somente eles podem nos garantir a nossa plena realização.

Ler o  Evangelho – Lc 21, 5-11

Não podemos por na realidade material o sentido final da nossa vida e a causa da nossa felicidade, pois o mundo material é transitório e só encontra o seu verdadeiro sentido enquanto é relacionado com o definitivo, ou seja, o mundo espiritual, e contribui para que a pessoa encontre nos valores que não são transitórios a causa da sua vida e da sua felicidade. Assim, devemos ser capazes de submeter os valores transitórios aos valores definitivos, pois somente eles podem nos garantir a nossa plena realização.

Sábado da 30ª Semana Tempo Comum

Ler o Evangelho- Lc 14, 1.7-11

O mundo em que vivemos é marcado pela concorrência, pela luta constante no sentido de superar as outras pessoas.

Ler maisSábado da 30ª Semana Tempo Comum

São Simão e São Judas, Apóstolos . Festa

 

Ler o Evangelho – Lc 6, 12-19

Jesus não quis realizar sozinho a obra do Reino, mas chamou apóstolos e discípulos para serem seus colaboradores.

Ler maisSão Simão e São Judas, Apóstolos . Festa

“E quanto a ti, uma espada de dor transpassará a tua alma.”

Ler o Evangelho – Lc 2, 33-35

A presença de Maria junto ao seu Filho no momento do seu suplício mostra para nós a realização da profecia de Simeão:

Ler mais“E quanto a ti, uma espada de dor transpassará a tua alma.”

Exaltação da Santa Cruz. Festa

Ler o Evangelho – Jo 3, 13-17 
É necessário que o Filho do Homem seja levantado.
Todos os que crêem no Filho de Deus elevado entre o céu e a terra, suspenso na cruz, recebem dele a vida eterna. A cruz, instrumento de suplício e de maldição, torna-se, em Jesus Cristo, instrumento de salvação para todas as pessoas.

Ler maisExaltação da Santa Cruz. Festa

Por que me chamais: ‘Senhor! Senhor!’, mas não fazeis o que eu digo?

Evangelho – Lc 6,43-49

Podemos falar muitas coisas a respeito dos valores que devem nortear as nossas vidas

Ler maisPor que me chamais: ‘Senhor! Senhor!’, mas não fazeis o que eu digo?

O Filho do Homem é senhor também do sábado.

Ler o Evangelho – Lc 6, 1-5
É muito fácil a gente ver o que as pessoas estão fazendo e,

Ler maisO Filho do Homem é senhor também do sábado.

Ele manda nos espíritos impuros, com autoridade e poder.

Ler o Evangelho Lc 4,31-37

As pessoas ficam admiradas com Jesus, porque ele ensina como quem tem autoridade. De onde vem a autoridade de Jesus? Não é uma autoridade política, pois Jesus não ocupava nenhum cargo importante na sociedade, e não é uma autoridade religiosa institucional, já que Jesus não tinha nenhuma função importante no templo ou na sinagoga. Podemos afirmar que a sua autoridade vem de si próprio, pois ele é Deus, mas o povo não sabia disso. O povo percebe a autoridade de Jesus a partir da coerência entre a sua pregação e a sua vida, compromissada com os pobres, necessitados e oprimidos, numa constante e vitoriosa luta contra todo tipo de mal.